sábado, 30 de novembro de 2019

O desejo feminino como histeria no Brasil do século XIX

"Acreditava-se que, uma vez conhecedora de atividades sexuais, as mulheres não podiam deixar de exercê-la, como veremos no romance de Aluízio Azevedo, Casa de pensão. Viúva, Nini passa a ter sintomas de histeria. A não satisfação do desejo sexual cobrava um preço alto. A paixão por outros homens que não o marido, ou seja, o adultério, também aparecia aos olhos dos médicos como manifestação histérica. Os remédios eram os mesmos há duzentos anos: banho frio, exercícios, passeios a pé. Em casos extremos, recomendava-se -- pelo menos em tratados médicos -- a ablação do clitóris ou a cauterização da uretra." (Mary Del Priore, Histórias Íntimas: sexualidade e erotismo na história do Brasil).

Nenhum comentário:

Postar um comentário