sexta-feira, 14 de junho de 2019

A atualidade dos textos de Marx

Eric J. Hobsbawn
" ... a continuidade do marxismo é bem mais evidente do que a de outras escolas de pensamento vitais e epônimas, como, por exemplo, o darwinismo. Não existe nenhum cientista que trabalhe no campo da evolução que não preste homenagens a Darwin; mas ninguém lê hoje A origem das espécies, salvo levado por curiosidade histórica, pela pietas ou por interesse pessoal. As obras de Marx, ao contrário, inclusive as da sua juventude, continuam a ser lidas como contribuições válidas para as discussões mais atuais; o mesmo se pode dizer para as obras de alguns marxistas posteriores." (Eric J. Hobsbawn, História do marxismo, vol 1).

domingo, 2 de junho de 2019

História e previsão do futuro

Robert Darnton
"Embora na minha opinião o estudo da história não renda lições que possam ser aplicadas diretamente em circunstâncias do presente, a imersão no passado é capaz de proporcionar uma perspectiva útil para os eventos do presente e do futuro." (Robert Darnton, A questão dos livros).

Futuro e história

Robert Darnton
"Acredito que qualquer tentativa de analisar o futuro ao mesmo tempo que lidamos com problemas do presente deva ser norteada pelo estudo do passado." (Robert Darnton, A questão dos livros).

sábado, 1 de junho de 2019

O homem livre de Rousseau

Jean-Jacques Rousseau
"O homem nasceu livre e por toda parte encontra-se a ferros." (Jean-Jacques Rousseau, Do contrato social).

O problema com os direitos humanos

Norberto Bobbio
"Com efeito, o problema que temos diante de nós [referente aos direitos humanos] não é filosófico, mas jurídico e, num sentido mais amplo, político. Não se trata de saber quantos e quais são esses direitos, qual é sua natureza e seu fundamento, se são direitos naturais ou históricos, absolutos ou relativos, mas sim qual é o modo mais seguro para garanti-los, para impedir que, apesar das solenes declarações, eles sejam continuamente válidos." (Norberto Bobbio, A era dos direitos).

segunda-feira, 27 de maio de 2019

O conceito de tempo

Norbert Elias
"... o conceito de tempo não remete nem ao 'decalque' conceitual de um fluxo objetivamente existente nem a uma forma de experiência comum à totalidade dos homens, e anterior a qualquer contato com o mundo." (Norbert Elias, Sobre o tempo).

"Nos ombros de gigantes"

Norbert Elias
"... nosso saber resulta de um longo processo de aprendizagem, que não teve um começo na história da humanidade. Todo indivíduo, por maior que seja sua contribuição criadora, constrói a partir de um patrimônio de saber já adquirido, o qual ele contribui para aumentar." (Norbert Elias, Sobre o tempo).

Sobre a natureza do tempo

Norbert Elias
"Os físicos às vezes dizem medir o tempo. Servem-se de fórmulas matemáticas nas quais o tempo desempenha o papel de um quantum específico. Mas o tempo não se deixa ver, tocar, ouvir, saborear nem respirar como um odor. Há uma pergunta que continua à espera de uma resposta: como medir uma coisa que não se pode perceber pelos sentidos? Uma 'hora' é algo de invisível.
Os relógios não medem o tempo? Se eles permitem medir alguma coisa, não é o tempo invisível, mas algo perfeitamente passível de ser captado, como a duração de um dia de trabalho ou um eclipse lunar, ou a velocidade de um corredor na prova dos cem metros." (Norbert Elias, Sobre o tempo).

segunda-feira, 29 de abril de 2019

A afirmação dos direitos do homem como uma inversão da relação entre o Estado e os cidadãos

Norberto Bobbio
"No plano histórico, sustento que a afirmação dos direitos do homem deriva de uma radical inversão de perspectiva, característica da formação do Estado moderno, na representação da relação política, ou seja, na relação Estado/cidadão ou soberano/súditos: relação que é encarada, cada vez mais, do ponto de vista dos direitos dos cidadãos não mais súditos, e não do ponto de vista dos direitos do soberano, em correspondência com a visão individualista da sociedade, segundo a qual, para compreender a sociedade, é preciso partir de baixo, ou seja, dos indivíduos que a compõem, em oposição à concepção orgânica tradicional, segundo a qual a sociedade como um todo vem antes dos indivíduos." (Norberto Bobbio, A era dos direitos).

segunda-feira, 15 de abril de 2019

A ficção como elemento de agregação humana

Yuval Noah Harari
"Como o Homo sapiens conseguiu ultrapassar esse limite crítico, fundando cidades com dezenas de milhares de habitantes e impérios que governam centenas de milhões? O segredo foi provavelmente o surgimento da ficção. Um grande número de estranhos pode cooperar de maneira eficaz se acreditar nos mesmos mitos." (Yuval Noah Harari, Sapiens: uma breve história da humanidade).