sábado, 27 de maio de 2017

Constituição e singularidade das identidades coletivas

Roberto DaMatta
"Tantos os homens como as sociedades se definem por seus estilos, seus modos de fazer as coisas.  Se a condição humana determina que todos os homens devem comer, dormir, trabalhar, reproduzir-se e rezar, essa determinação não chega ao ponto de especificar também que comida ingerir, de que modo produzir, com que mulher (ou homem) acasalar-se e para quantos deuses ou espíritos rezar. É precisamente aqui, nessa espécie de zona indeterminada, mas necessária, que nascem as diferenças e, nelas, os estilos, os modos de ser e estar, os 'jeitos' de cada qual. Porque cada grupo humano, cada coletividade concreta, só pode por em prática algumas dessas possibilidades de atualizar o que a condição humana apresenta como universal" (Roberto DaMatta, O que faz o brasil, Brasil?).

Nenhum comentário:

Postar um comentário