quarta-feira, 23 de novembro de 2016

O paradoxo do amor como paliativo para o sofrimento

Sigmund Freud
"Nunca estamos mais desprotegidos ante o sofrimento do que quando amamos, nunca mais desamparadamente infelizes do que quando perdemos o objeto amado ou seu amor" (Sigmund Freud, O mal-estar na civilização).

Nenhum comentário:

Postar um comentário