sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Razão e insanidade (3)

G. K. Chesterton
"Um homem não consegue sair do mal mental só por meio de seu pensamento; pois é exatamente o órgão do pensamento que se tornou doentio, ingovernável e, por assim dizer, independente. Ele só pode ser salvo pela vontade ou a fé. No momento em que a mera razão entra em movimento, ela se move no velho sulco circular (...)."

"O louco está na limpa e bem iluminada prisão de uma ideia só; é afiado num só doloroso ponto. Está desprovido da sadia hesitação e sadia complexidade" (G. K. Chesterton, Ortodoxia).

Nenhum comentário:

Postar um comentário