sexta-feira, 28 de outubro de 2016

A negação do pecado original

G. K. Chesterton
"Os antigos mestres da religião (...) começavam com o fato do pecado - fato tão prático como as batatas. Pudesse ou não o homem ser lavado em águas milagrosas, não pairaria nenhuma dúvida de que ele desejava lavar-se. Mas certos líderes religiosos de Londres, não somente os materialistas, começaram a negar nos dias de hoje não a altamente questionável água, mas sim a inquestionável sujeira."

"(...) a única parte da teologia cristã que pode realmente ser provada."

"Esse fato [do pecado original], que para eles (e para mim) está mais na cara do que no nariz, é exatamente o que foi diluído ou negado de modo especial" (G. K. Chesterton, Ortodoxia).

Nenhum comentário:

Postar um comentário