segunda-feira, 26 de junho de 2017

A estética do cinema

Jacques Aumont
"A estética do cinema é, portanto, o estudo do cinema como arte, o estudo dos filmes como mensagens artísticas. Ela subentende uma concepção do 'belo' e, portanto, do gosto e do prazer do espectador, assim como do teórico. Ela depende da estética geral, disciplina filosófica que diz respeito ao conjunto das artes" (Jacques Aumont, A estética do filme).

sábado, 27 de maio de 2017

O trabalho: entre a bênção e a maldição

Roberto DaMatta
"Entre nós, porém, perdura a tradição católica romana e não a tradição reformadora de Calvino, que transformou o trabalho como castigo numa ação destinada à salvação. Mas nós, brasileiros, que não nos formamos nessa tradição calvinista, achamos que o trabalho é um horror" (Roberto DaMatta, O que faz o brasil, Brasil?).

Constituição e singularidade das identidades coletivas (2)

Roberto DaMatta
É que no meio de uma multidão de experiências dadas a todos os homens e sociedades, algumas necessárias à própria sobrevivência, como comer, dormir, morrer, reproduzir-se etc., outras acidentais ou superficiais: históricas, para ser mais preciso (...). Cada sociedade (e cada ser humano) apenas se utiliza de um número limitado de 'coisas' (e de experiências) para construir-se como algo único, maravilhoso, divino e 'legal'... (Roberto DaMatta, O que faz o brasil, Brasil?).

Constituição e singularidade das identidades coletivas

Roberto DaMatta
"Tantos os homens como as sociedades se definem por seus estilos, seus modos de fazer as coisas.  Se a condição humana determina que todos os homens devem comer, dormir, trabalhar, reproduzir-se e rezar, essa determinação não chega ao ponto de especificar também que comida ingerir, de que modo produzir, com que mulher (ou homem) acasalar-se e para quantos deuses ou espíritos rezar. É precisamente aqui, nessa espécie de zona indeterminada, mas necessária, que nascem as diferenças e, nelas, os estilos, os modos de ser e estar, os 'jeitos' de cada qual. Porque cada grupo humano, cada coletividade concreta, só pode por em prática algumas dessas possibilidades de atualizar o que a condição humana apresenta como universal" (Roberto DaMatta, O que faz o brasil, Brasil?).

terça-feira, 16 de maio de 2017

O caráter pragmático do conhecimento da realidade cotidiana

Berger & Luckmann
"Mutatis mutandis, uma grande parte do patrimônio cultural do conhecimento, consiste em receitas para atender problemas de rotina. Em geral, tenho pouco interesse em ir além deste conhecimento necessário por razões pragmáticas, desde que, de fato, baste para resolver os problemas" (Peter Berger & Thommas Luckmann, A construção social da realidade).

domingo, 30 de abril de 2017

A vinculação de classe do juízo estético: um exemplo alemão

Norbert Elias
"O vínculo com a estratificação social é muito clara no juízo estético. Francisco [o Grande, da Prússia], igualmente, defende-se da falta de gosto de se justapor no palco [do teatro shakespeariano] a 'grandeza trágica' de príncipes e rainhas com a 'rudeza' de carregadores e coveiros. Como poderia ter ele compreendido e aprovado uma obra dramática e literária que focalizava, acima de tudo, a luta contra diferenças de classe, um trabalho que tinha a intenção de mostrar que não só os sofrimentos de príncipes e reis e da aristocracia cortesã, mas também os de pessoas situadas mais baixo na classe social, têm sua grandeza e sua tragédia?" (Norbert Elias, O processo civilizador 1).

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Linguagem e objetivação

Berger & Luckmann
"A linguagem, que pode aqui ser definida como um sistema de sinais vocais, é o mais importante sistema de sinais da sociedade humana. Ela assenta, sem dúvida, na capacidade intrínseca do organismo humano para a expressividade vocal, mas só podemos começar a falar de linguagem quando as expressões vocais começam a ser capazes de destacar-se do imediato "aqui e agora" dos estados subjetivos. Ainda não é linguagem quando rosno, grunho, uivo ou silvo, embora estas expressões vocais sejam capazes de se tornarem linguísticas, na medida em que se integrem num sistema de sinais praticável de maneira objetiva" (Peter Berger & Thomas Luckmann, A construção social da realidade).