segunda-feira, 24 de abril de 2017

Linguagem e objetivação

Berger & Luckmann
"A linguagem, que pode aqui ser definida como um sistema de sinais vocais, é o mais importante sistema de sinais da sociedade humana. Ela assenta, sem dúvida, na capacidade intrínseca do organismo humano para a expressividade vocal, mas só podemos começar a falar de linguagem quando as expressões vocais começam a ser capazes de destacar-se do imediato "aqui e agora" dos estados subjetivos. Ainda não é linguagem quando rosno, grunho, uivo ou silvo, embora estas expressões vocais sejam capazes de se tornarem linguísticas, na medida em que se integrem num sistema de sinais praticável de maneira objetiva" (Peter Berger & Thomas Luckmann, A construção social da realidade).

terça-feira, 18 de abril de 2017

Civilização, "Kultur" e identidade

Norbert Elias
"Enquanto o conceito de civilização inclui a função de dar uma expressão a uma tendência continuamente expansionista de grupos colonizadores, o conceito de Kultur reflete a consciência de si mesma de uma nação que teve de buscar e construir incessante e novamente suas fronteiras, tanto no sentido político como espiritual, e repetidas vezes perguntar a si mesma: 'Qual é, realmente, nossa identidade?'" (Norbert Elias, O processo civilizador 1).

domingo, 16 de abril de 2017

O caráter social do conhecimento

Marx & Engels
"Vossas próprias [dos burgueses] ideias são produtos das relações de produção e de propriedade burguesas, assim como o vosso direito não passa da vontade de vossa classe erigida em lei, vontade cujo conteúdo é determinado pelas condições materiais de vossa existência como classe" (Marx & Engels, Manifesto Comunista).

Comunismo e propriedade (2)

Marx & Engels
"Horrorizai-vos porque queremos suprimir a propriedade privada. Mas em vossa sociedade a propriedade privada está suprimida para nove décimos de seus membros. E é precisamente porque não existe para estes nove décimos que ela existe para vós. Censurai-nos, portanto, por querermos abolir uma forma de propriedade que pressupõe como condição necessária que a imensa maioria da sociedade não possua propriedade" (Marx & Engels, Manifesto Comunista).

Salário e reprodução de força de trabalho

Marx & Engels
"O preço médio que se para pelo trabalho assalariado é o mínimo de salário, ou seja, a soma dos meios de subsistência necessários para que o operário viva como operário. Por conseguinte, o que o operário recebe com o seu trabalho é o estritamente necessário para a mera conservação e reprodução de sua existência" (Marx & Engels, Manifesto Comunista).

O caráter social do Capital

Marx & Engels
"O capital é um produto coletivo e só pode ser posto em movimento pelos esforços combinados de muitos membros da sociedade, em última instância pelos esforços combinados de todos os membros da sociedade.

O capital não é, portanto, um poder pessoal: é um poder social.

Assim, quando o capital é transformado em propriedade comum, pertencente a todos os membros da sociedade, não é uma propriedade pessoal que se transforma em propriedade social. O que se transformou foi o caráter social da propriedade. Esta perde seu caráter de classe" (Marx & Engels, Manifesto Comunista).

Comunismo e propriedade

Marx & Engels
"O que caracteriza o comunismo não é a abolição da propriedade em geral, mas a abolição da propriedade burguesa.

Mas a moderna propriedade privada burguesa é a última e mais perfeita expressão do modo de produção e de apropriação baseado nos antagonismos de classes, na exploração de uns pelos outros.

Nesse sentido, os comunistas podem resumir sua teoria numa única expressão: supressão da propriedade privada" (MARX & ENGELS, Manifesto Comunista).